A Mídia e a Dança do Colesterol

A Mídia e a Dança do Colesterol

Sabemos que a mídia – falada, escrita, televisionada ou virtual – exerce uma enorme influência na nossa maneira de agir, vestir, comer, basicamente, em todos os aspectos da nossa vida. É uma força poderosa, que sabe como controlar e mudar a nossa opinião. 

Somos bombardeados diariamente com notícias e novidades na área de alimentação, e a cada década surgem novos vilões e novos heróis, e teremos mais energia, menos doenças e viveremos por mais tempo, se seguirmos esta ou aquela recomendação. Nos últimos 50 anos foram escritos milhares de livros sobre a dieta ideal, milhões de artigos em jornais, revistas e blogs sobre o que devemos ou não comer, e muitas pessoas seguiram as recomendações e soluções oferecidas por estes autores. E mesmo com todo este conhecimento espalhado pelo mundo, as pessoas continuam doentes. E isso ocorre porque a grande maioria dessas informações foi baseada em erros ou má interpretação de dados dos médicos e pesquisadores de décadas atrás.

Vamos observar algumas dessas mudanças nos hábitos alimentares de acordo com uma das mais conhecidas revistas de notícias semanais do mundo, publicada nos Estados Unidos da América. A revista Time.

Escolhi a Time não somente por causa das ótimas capas e reportagens sobre gordura e colesterol feitas ao longo dos anos, mas também porque a revista tem uma edição europeia publicada de Londres, que cobre o Oriente Médio, a África e a América Latina, uma edição asiática editada de Hong Kong e uma edição canadense, editada de Toronto, o que a faz chegar à grande parte do planeta. E seus artigos certamente servem de inspiração aos autores das reportagens sobre o assunto na imprensa falada, escrita e virtual brasileira. 

Vamos começar com Ancel Keys, sobre quem você pode ler mais em futuros posts.

13 de Janeiro de 1961

FISIOLOGISTA ANCEL KEYS

Ancel Keys era um fisiologista de renome, autor de alguns livros e estudos (bem controversos) sobre dieta e saúde e criador da “Ração-K”. Nesta reportagem, ele afirma que os Americanos comem demais, e que comem muita gordura. Também tenta provar (mesmo sem ser médico) que a gordura saturada se deposita nas artérias coronárias, as bloqueia e causa doenças cardíacas.

26 de Março de 1984

COLESTEROL 

E Agora, as Más Notícias…

Esta reportagem fala de um estudo que durou dez anos e custou 150 milhões de dólares, sobre a relação entre o colesterol na dieta, o colesterol sérico (presente no sangue) e as doenças cardíacas. 

12 de Dezembro de 1988

Colesterol “Bom”

Novidades Encorajadoras para o Seu Coração.

06 de Setembro de 1999

COLESTEROL

As Boas Notícias 

Agora, os ovos não fazem mais parte dos alimentos que aumentam o colesterol no sangue.

11 de Novembro de 1999

Dietas Low-Carb

11 de Junho de 2014

Coma Manteiga.

Cientistas rotularam gorduras como inimigas. Veja porque eles estavam errados.


Felizes os que reconhecem o erro em tempo, ao tomarem conhecimento da realidade.

Meishu-Sama

Algo que era muito prejudicial de repente se tornou essencial.  Alimentos considerados terríveis para sua saúde em uma década, de repente se tornaram saudáveis na década seguinte. Na verdade, eles sempre foram saudáveis, e nossos bisavós sabiam disso. 

E no que devemos acreditar, já que há tantas informações contraditórias? Na minha opinião, devemos seguir sempre os estudos mais atualizados. Não que todos os estudos científicos atuais estejam corretos, mas em geral os pesquisadores tendem a corrigir os erros anteriores e a publicarem novas versões mais corretas e completas de suas teorias.

É claro que não podemos acreditar cegamente nos resultados de todos os estudos. Um estudo financiado por uma empresa de refrigerantes infelizmente não será imparcial, e concluirá dizendo que o açúcar dos refrigerantes não tem influência no diabetes tipo 2, por exemplo. Um estudo pago pela indústria de cereais sempre terá como resultado que cereais e grãos são saudáveis, o mesmo ocorrerá com estudos patrocinados pela indústria de laticínios, de carnes, de soja, de açúcar. A indústria de alimentos é uma das mais lucrativas do mundo, e não vai deixar que um estudo independente fale mal do seu produto.

A imprensa, infelizmente, também quer lucrar, e nunca cita quem financiou o estudo, e cria as manchetes do modo mais sensacionalista possível, para atrair leitores. Muitas vezes o simplismo do título de uma matéria leva o leitor a acreditar no oposto do que o estudo original concluiu. Tudo para vender mais jornais, revistas e obter mais cliques na matéria online.

Assista a esse vídeo esclarecedor do Dr. Lair Ribeiro sobre o colesterol.

Os 10 mitos sobre o Colesterol com Dr. Lair Ribeiro – YouTube

Aconselho também a leitura de todos os livros de Gary Taubes, como: “Good Calories, Bad Calories” (Calorias Boas, Calorias Más), “Açúcar: culpado ou inocente?”, e “Por que Engordamos”.

E o excelente livro “Gordura sem Medo”, de Nina Teicholz.

Gordura sem medo: Por que a manteiga, a carne e o queijo devem fazer parte de uma dieta saudável por [Nina Teichholz, Marcelo Brandao Cipolla]

Viva extraordinariamente!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.